DICA DE LEITURA: Coleção “Misericordiosos como o Pai”






Já entramos no mês de agosto, tradicional “mês vocacional” em nossa Igreja. Estamos em pleno Ano Santo da Misericórdia que, como sabemos, termina em novembro próximo. E o que temos feito para aprofundar o tema da misericórdia divina em nossa vida em nossa atividade pastoral?

Pensando nisso, o Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização (responsável por articular as atividades do Jubileu) lançou, no final do ano passado, uma série de subsídios numa coleção chamada “Misericordiosos como o Pai”, publicada no Brasil pela Paulus Editora. São oito pequenos volumes (pouco mais de cem páginas cada), de linguagem profunda e bastante acessível, redigidos por experientes professores de universidades católicas europeias. O preço é bem em conta também, dado o alto nível das reflexões de cada volume. Segue um pequeno comentário sobre cada livro:

Celebrar a misericórdia – Subsídio litúrgico: oferece importantes orientações para valorizar símbolos e celebrações específicas durante o Ano Santo, destacando seu sentido particular em relação ao mistério da misericórdia divina que se manifesta nos mais diversos momentos de oração da vida da Igreja, seja na liturgia, seja na piedade popular.

A Confissão – Sacramento da Misericórdia: apresenta uma profunda reflexão bíblico-teológica sobre o sacramento da Confissão, destacando seu caráter trinitário, pascal e eclesial. Convida ainda a uma educação para o verdadeiro sentido da Penitência e para uma prática pastoral renovada à luz da graça da Reconciliação: uma nova consciência a partir de Jesus Cristo e do seu amor misericordioso.

Os Salmos da Misericórdia: na minha opinião, o mais profundo e belo texto da coleção (e o mais exigente também). Uma exegese (interpretação e explicação) detalhada de cada um dos dez chamados “salmos da misericórdia” (25, 41, 42, 43, 51, 57, 92, 103, 119, 136), versículo por versículo. Uma riqueza sem par!

As Parábolas da Misericórdia: na mesma linha do volume anterior – uma exegese profunda e bem articulada das sete chamadas “parábolas da misericórdia”, apresentadas no evangelho segundo Lucas (os dois devedores, o bom samaritano, a ovelha perdida e a moeda encontrada, o pai misericordioso, o rico e Lázaro, o juiz e a viúva, o fariseu e o publicano).

Os Padres da Igreja e a Misericórdia: um resgate dos ensinamentos dos primeiros pastores e teólogos da Igreja (especialmente santo Agostinho) sobre o tema da misericórdia divina – uma antologia de pequenos trechos de importantes obras que destacam a misericórdia, sobretudo, como o autêntico modo de vida do cristão.

Os Santos e a Misericórdia: para mim, o mais surpreendente volume da coleção. Uma coleção de breves biografias de santos modernos (que viveram do século XV para cá), destacando como conseguiram viver e anunciar o mistério da misericórdia divina em seus mais diversos aspectos. Um rol de santos e beatos, homens e mulheres, alguns bem conhecidos e outros nem tanto, muito próximos de nós – no tempo e na simplicidade dos gestos de amor – que nos animam com um testemunho silencioso, fiel e dedicado, a nos entregarmos à maravilha de Deus!

Os Papas e a misericórdia: seguindo o esquema sobre os Padres da Igreja, o volume apresenta uma antologia de textos dos Papas do último século, evidenciando o tema da misericórdia como o eixo da pregação e do projeto eclesial dos Pontífices, desde Pio XI, que culmina com são João Paulo II e ganha luz no pontificado de Francisco com o presente Ano Jubilar Extraordinário dedicado à misericórdia divina.

As Obras de Misericórdia Corporais e Espirituais: a partir da Sagrada Escritura e da mais antiga Tradição da Igreja, o texto apresenta as obras de misericórdia em seu conjunto e separadamente, em uma visão tanto bíblico-teológica quanto pastoral, incentivando a recuperar seu sentido e sua prática em nossa vida pessoal e eclesial.

Fica a dica. Boa leitura!