Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação


O Papa Francisco instituiu, em consonância com o costume da Igreja Ortodoxa, a partir deste ano, para toda a Igreja Católica, em 1º de setembro, o Dia Mundial de Oração pelo Cuidado com a Criação. A proposta vem ao encontro das preocupações apresentadas pelo Romano Pontífice na sua recente Carta Encíclica "Laudato Si'".

O texto do Evangelho proposto para a reflexão é Mt 6,24-34, um convite à contemplação serena do mundo, ao cuidado fraternal com todas as criaturas, à confiança filial e ao abandono nas mãos de Deus, o Pai, fonte e criador de toda a vida.

Em carta aos Cardeais Turkson e Koch, respectivos presidentes do Pontifício Conselho Justiça e Paz e do Pontifício Conselho para a Unidade dos Cristãos, o Papa delineia os aspectos gerais e as motivações dessa sua ação. O Dia é pensado como "contribuição para a superação da crise ecológica que a humanidade está vivendo", recuperando, a partir do "nosso rico patrimônio espiritual as motivações que alimentam a paixão pelo cuidado da criação", assumida de modo muito particular na Encarnação do Verbo.

A crise ecológica conclama uma verdadeira conversão ecológica, e a experiência desse Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação "oferecerá a cada fiel e às comunidades a preciosa oportunidade para renovar a adesão pessoal à própria vocação de guardião da criação, elevando a Deus o agradecimento pela obra maravilhosa que Ele confiou ao nosso cuidado, invocando a sua ajuda para a proteção da criação e a sua misericórdia pelos pecados cometidos contra o mundo em que vivemos". 

É um gesto pequeno e simples, mas que traduz e impele a uma grade revolução: a conversão do coração de cada homem e mulher para o compromisso com a vida, em todas as suas formas e dimensões.

Neste encalço, nas próximas publicações vou dedicar-me a breves reflexões sobre os aspectos centrais da Encíclica "Laudato Si'", para nosso conhecimento e debate.