E se você não quiser mais?

 


Quando se trata de uma coisa, é bem fácil: você passa pra frente, joga no lixo, quebra, sei lá... simplesmente descarta. E está tudo bem. Mas, e quando se trata de pessoas ou sentimentos? Longe de mim oferecer uma visão utilitarista da pessoa ou instrumentalizar os sentimentos, pelo contrário! O que eu quero discutir com você é outra questão: como você percebe que chegou a hora de mudar e como realizar isso?

Se eu pudesse resumir o meu trabalho, eu diria que se trata de ajudar pessoas. É isso que eu quero com esse texto: ajudar alguém. Nessa pandemia, muitas pessoas que me procuram apresentam dramas reais aos quais estão mais vulneráveis e, na maioria das vezes, não sabem que rumo tomar. Talvez seja o seu caso também, de você que me lê agora. E talvez seja também o meu, por que não? Então, dedico a nós essas palavras. Não é uma mensagem de final de ano, mas pode ser.

Você é capaz de dizer não? Pra muita gente isso é uma tortura! Talvez pela dificuldade em dizer não, muita gente se mete em relacionamentos abusivos e exaustivos, que sugam a liberdade e tiram a alegria de viver. Quantas pessoas subjugadas por ter que agradar aos outros, renunciando à própria vontade, à própria vida! Tem horas que a gente tem que aprender a gritar um sonoro não! pra poder respirar e reencontrar os rumos da vida.

Você tem um plano de vida? Escapando da velha fórmula do normal ou do todo mundo faz assim. A vida é um dom único e irrepetível, que a gente nunca sabe quando começa nem quando vai terminar. Tem alguém que não valoriza, e simplesmente deixa a vida passar sem fazer escolhas nem tomar decisões, delegando tudo para os outros ou abandonando-se aos ventos dos acontecimentos, sem se importar consigo mesmo, seu rumo ou destino. Tem gente que se preocupa demais, e até deixa de tecer relações, de aprender coisas novas, de desbravar caminhos, porque não pode deixar de cumprir uma tal meta preestabelecida não se sabe por quem nem pra quê, como aqueles mapas do tesouro dos desenhos animados da minha infância. E há também quem simplesmente não sabe o que fazer nem o que quer: se estiver aberto para construir um futuro de qualidade, siga! Se não, prevejo problemas...

Você ainda é capaz de sonhar? Ah! O sonho é uma coisa boa! Talvez aquilo que há de mais próprio e característico no ser humano. O sonho desperta o desejo, aguça a fantasia, liberta a alma para voos fantásticos! Não estou falando só do sonho que a gente alcança durante o sono não. Falo, sobretudo, daquela capacidade de continuar mantendo a vida com esperança, mesmo tendo diante dos olhos um presente conturbado, um passado cheio de questões sem resposta, e um futuro indefinido. Nada disso é problema quando ainda se pode sonhar. Sonho rima com criatividade, e só ela é capaz de reinventar a vida, e nos abrir para o mais que podemos ser.

Em que você tem fé? Religiosa ou não. Você ainda acredita em algo? acredita em alguém? Acredita em você? Acreditar não é fechar os olhos para o mundo e suas circunstâncias, mas ter perspectiva de que o melhor ainda está por vir, que se pode construir a mudança, que todos podemos crescer e amadurecer.

No mais, não se maltrate com tantas perguntas: expanda seus horizontes, acredite, caminhe, avance! Se possível, não faça essa jornada de modo isolado. Tenha consigo gente de confiança, amigos, irmãos. Mas saiba: no fim, é a solidão – você com você mesmo. Seja uma boa companhia, se acolha, se respeite a cada passo, se ame acima de tudo.

E se nada der certo, ao menos você descobriu uma forma de não fazer o que você pretende. Pegue outro caminho e siga de novo! A jornada da vida não termina nunca, mesmo se chegar ao fim. Você pode inspirar novos começos.

Comentários

  1. Parabéns Padre João ����������������...o sonho e a esperança caminham de braços dados.

    ResponderExcluir
  2. Que texto! Seja vc o seu maior aliado e não seu adversário nessa misteriosa dádiva chamada VIDA!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Compartilhe teu pensamento conosco!